24 de ago de 2010

Como calcular os custos de produção - Sistema de Custeio (Passo 3)

+A -A +/-



Este é o passo 3 de 10 o qual apresentaremos algumas dicas de como calcular os custos de produção em sua empresa. Usaremos como exemplo fictício um case industrial e a empresa escolhida será do ramo avícola.

Nesta postagem estarei apresentado algumas características dos sistemas de custeio mais utilizados pelas empresas e, a partir daí, escolheremos aquele que mais se aplica ao nosso estudo de caso.

Dos sistemas de custeio mais usados, podemos destacar três: Sistema de Custeio por Absorção, Sistema de Custeio Variável e Sistema de Custeio ABC. Apresentaremos a seguir as principais características destes três métodos de custeio e, por fim, decidiremos qual deles utilizar em nosso sistema de custos.

Importante!  Na escolha de um sistema de custeio específico, veja o que mais se adapta à sua realidade. É importante saber também o nível de detalhes de informações que você quer obter.

Sistema de Custeio por Absorção


No método de Custeio por Absorção, a alocação dos custos é feita diretamente aos produtos. Seus custos variáveis são absorvidos por meio de apropriação direta e os custos fixos por meio de taxas de rateio.  A utilização do custeio por Absorção é criticado porque os critérios de rateio podem apresentar distorções na apropriação dos custos fixos.
Obs. Este método é o único aceito pelo fisco.

   Etapas

  1.     Separação entre custos e despesas
  2.     Apropriação dos custos diretos de produção
  3.     Apropriação dos custos indiretos de produção


Sistema de Custeio Variável


O Sistema de Custeio Variável é também conhecido como Custeio Marginal ou Direto. Neste método, somente os custos variáveis são apropriados ao custo dos produtos. Os custos fixos, neste sistema de custeio, são considerados apenas como custos necessários apenas a manter a estrutura de produção e, desta forma, serão lançados diretamente no resultado do período.

Este método propõe uma análise marginal de cada produto cujo objetivo é mostrar aqueles que apresentam a maior margem de contribuição.

   Etapas

  1.      Separação entre custos e despesas
  2.      Separação entre custos fixos e variáveis
  3.      Apropriação dos custos diretos
  4.      Apropriação dos custos indiretos

Sistema de Custeio ABC


O Sistema de Custeio ABC leva em consideração que os recursos produtivos devem ser alocados primeiramente às atividades que a empresa executa, para depois serem distribuídos adequadamente aos produtos. Dentre os sistemas mostrados anteriormente, o Custeio ABC é o que apresenta maior grau de complexidade, pois exige maior eficiência no fluxo de processos, maior minuciosidade das informações e um maior dispêndio em sua implementação (treinamento do pessoal, softwares mais sofisticados, etc.).

   Etapas

  1.      Identificação das atividades relevantes
  2.      Atribuição dos custos às atividades
  3.      Identificação e escolha dos direcionadores de custos
  4.      Atribuição dos custos das atividades aos produtos


Como eu disse no início da postagem, utilizaremos um exemplo de uma empresa fictícia do ramo avícola (frangos). Chamaremos esta empresa de Granja Pint-G.

Quanto a escolha do sistema de custeio em nosso caso específico, podemos pegar algumas idéias dos três métodos apresentados, fazer algumas adaptações e implementá-lo na Granja Pint-G. Será uma espécie de custeio misto cujos custos (fixos e variáveis) serão apropriados primeiramente aos departamentos de produção da empresa e depois aos produtos. Leia as próximas postagens e veja como isto se dará na prática.

Deixe seu comentário! pois ele é importante para o aperfeiçoamento do blog.

Ir para o próximo passo (ou navegue pelo menu no topo da postagem).

(o que é acompanhar um blog?)


João N

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também...