9 de jul de 2011

passo a passo... Como fazer um plano de gerenciamento de custos - Passo 9

+A -A +/-


Estamos no passo 9 de um total de 10 passos de como criar um plano de gerenciamento de custos. Mostraremos nesta postagem o significado de Margem de Contribuição, como calculá-lo, e principalmente entender qual a sua verdadeira importância para a tomada de decisões relacionadas à produção, vendas e maximização dos lucros.

Entender o cálculo da Margem de Contribuição da empresa, tanto quanto a sua importância e vantagens, é de suma importância para o empreendimento. Acrescento: o seu conhecimento é requisito à sobrevivência da empresa.

Você que é dono do seu negócio e quer saber como aplicar essa ferramenta ao seu negócio, verá que é bastante simples. A seguir, mostraremos através de um caso prático como efetuar o cálculo da margem de contribuição e análise.

O que é Margem de Contribuição?

Entende-se por margem de contribuição o resultado da diferença entre o valor das vendas em determinado período, e os gastos (custos e despesas) nesse mesmo período. Veja a equação abaixo.

MC = V – (CV + DV) (total)

MCUnit = PV – (CVU – DVU) (unit p/ produto)

Onde,
MC = Margem de Contribuição
MCUnit = Margem de Contribuição Unitária
PV = Preço de Venda
V = Vendas
CV = Custos Variáveis
CVU = Custo Variável Unitário
DV = Despesas Variáveis
DVU = Despesa Variável Unitária

Vimos na postagem Fazendo a Classificação dos Custos o que são Custos Variáveis e Fixos.

Enquanto os Custos Variáveis estão diretamente vinculados à produção, as Despesas Variáveis estão ligadas aos produtos vendidos, ou seja, variam de acordo o volume de vendas. As comissões sobre vendas e os impostos que incidem também sobre vendas são exemplos de despesas variáveis.

Veja bem... Se do total das vendas eu diminuo CV e DV sobram os custos e despesas fixos. Alcançando esse equilíbrio entre vendas, custos e despesas a empresa atinge o seu Ponto de Equilíbrio – que é o assunto do próximo passo - e o que passar daí é lucro. Em síntese, a margem de contribuição é o que sobra das vendas para cobrir os custos e despesas fixos.

Outra abordagem importante é a da margem de contribuição por produto; talvez este seja o ponto crucial da análise da margem de contribuição.

A Margem de Contribuição por Produto é a contribuição que cada produto dá para cobrir as despesas e custos mencionados.

Porque é importante saber a Margem de Contribuição?

Imagine que você, dono e/ou administrador de um negócio, tenha a difícil decisão de reduzir a produção frente às situações mercadológicas adversas. Considerando que a empresa possua um mix de produtos bem variado, quais destes teriam sua produção reduzida? Qual o critério a ser utilizado?

O conhecimento da margem de contribuição por produto é essencial para essa escolha, pois, por um lado auxilia na identificação do(s) produto(s) com menor margem e, por outro, revela(m) aquele(s) mais lucrativo(s). Os produtos que apresentam margens de contribuição maiores são os que devem ter suas vendas estimuladas, obedecendo, é claro, os limites de produção.   

Quais as vantagens da utilização dessa ferramenta?

Dentre outras: 
·      Incremento dos lucros, uma vez que é possível incentivar a venda dos produtos mais lucrativos;  
·      Identificação dos produtos mais e menos rentáveis, promovendo ações de marketing mais eficazes;
·      Ferramenta de apoio administrativo, auxiliando no processo decisório:
·    Cálculo do Ponto de Equilíbrio, permitindo saber o valor mínimo necessário que se deve vender para não incorrer em prejuízos.

Vamos à pratica, com o nosso case Granja Pint-G.

Para criarmos a tabela da Margem de Contribuição Total e Unitária pegaremos dados de algumas tabelas disponibilizadas em postagens (passos) anteriores: DRE - Demonstrativo do Resultado do Exercício (passo 8) e Fazendo a Apropriação dos Custos Diretos (passo 6).


O mais importante, ao analisar uma planilha de Margem de Contribuição Total, é saber se a sobra (MC) é suficiente para cobrir os gastos fixos e ainda produzir lucro para a empresa.


Como foi citado anteriormente, a margem de contribuição por produto possibilita uma melhor análise estratégica para a empresa.

Em nosso estudo de caso de acordo com a figura 2, qual é o mais e o menos lucrativo?

Embora o produto Frango Congelado apresente maior participação na receita bruta de vendas (figura 2 - parte 1), ele não é o que apresenta maior margem de contribuição (35,2%). Já com o produto Cortes ocorre o contrário – receita bruta menor que o Frango e a maior margem de contribuição unitária (45,7%). A explicação para isso é o preço médio maior que os demais.

O produto Carcaça, embora apresente menor margem (12%), não seria recomendável eliminá-lo do mix de produtos da Pint-G. Por que? Simples. Este é um produto originado da "sobra", isto é, o Frango quando destinado ao corte (asa, peito, coxa, etc) possui algumas partes, conhecidas como miúdos, que também podem ser aproveitados para venda a um preço menor.  

Há outras formas de obter a margem de contribuição, como, por exemplo, a MC por departamento ou até mesmo por cliente – muito utilizado pelos bancos – que mostra a relação entre a MC por cliente (ou grupo de clientes) e a MC total.

Entendendo o significado, importância e vantagens da Margem de Contribuição para o seu negócio, você – micro, pequeno, médio e grande empresário - certamente estará mais bem preparado para gerir a sua empresa.

Até o próximo e derradeiro passo: Ponto de Equilíbrio.

(o que é acompanhar um blog?)

João N

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também...