24 de nov de 2011

Como identificar problemas financeiros em sua empresa

+A -A +/-
Antes de procurar uma solução para um possível problema financeiro em sua pequena ou média empresa é necessário, antes de tudo, identificá-lo. Para detectarmos esse problema temos que conhecer o sintoma, ou o conjunto de sintomas, que deu origem a essa situação de “enfermidade financeira”.


Nesta postagem tentarei mostrar algumas dicas de como diagnosticar problemas financeiros em sua empresa.



É importante salientar que não apresentarei formas de resolver tais problemas, e sim de como descobri-los. Através de uma abordagem prática, tentarei mostrar como analisar alguns indicadores e demonstrativos financeiros.

Podemos fazer uma divisão quanto às áreas de decisões financeiras em uma empresa: Investimento (alocação de recursos), Financiamento (captação de recursos) e Operações (transformação dos recursos). A abordagem do nosso tema está enquadrada nesta última área (operações), onde “coletaremos” os dados necessários à análise de alguns indicadores e demonstrativos de resultado.

Enfim, quais os principais sintomas de um problema financeiro em uma empresa?

Dentre outros:
  • Atrasos constantes de pagamentos a credores;
  • Recorrência constante de empréstimos para cobrir furos de caixa (antecipação de recebíveis, uso contínuo  do limite do cheque especial, etc.);
  • Grande quantidade de cheques devolvidos;
  • Baixa liquidez de seus recursos;  
  • Perguntas e afirmações freqüentes do tipo: para onde está indo meu dinheiro? Está havendo desvio de recursos da empresa.
Obs.: É claro que acontecimentos isolados e eventuais não configuram problemas financeiros.

Como detectar sintomas de um problema financeiro?

Existem algumas ferramentas simples que nos dão alertas a respeito de tais situações.

Detectando os sintomas por meio de Indicadores Financeiros

Dentre os indicadores financeiros, vamos utilizar índices de (1) liquidez, de (2) atividade e de (3) rentabilidade (alguns de cada).

1.1 Índice de Liquidez Corrente – indica a relação entre ativos circulantes (caixa, saldo em banco, aplicações de baixa liquidez, duplicatas a receber e estoques) e passivos circulantes (duplicatas a pagar, impostos a pagar, salários , etc).

Esse índice mede a capacidade da empresa em pagar suas obrigações de curto prazo. Se o resultado da divisão (ativo circ. ÷ passivo circ.) for maior ou igual a 1 – bom, se menor que 1 – problema.

Exemplo:

2.1 Prazo Md de Pag. a Fornecedores – tempo médio que a empresa leva para pagar suas compras a prazo.

     Fórmula:






2.2 Prazo Md de Cobrança – tempo médio que a empresa leva para receber suas vendas a prazo.

    Fórmula:






Obs.: na postagem sobre cálculo da necessidade do capital de giro você encontra mais detalhes.

ATENÇÃO: Os índices de atividade – Prazo Md de Pag. a Fornecedores e Prazo Md de Cobrança - analisados individualmente, podem não denotar problemas financeiros. Recomendo analisá-los conjuntamente. O descasamento entre prazos de recebimentos e prazos de pagamentos, como também prazos md de recebimentos maiores que o de pagamentos, é que podem ser indícios de problemas no fluxo de caixa da empresa.

3.1 Índice de lucratividade – este indicador mede a capacidade da empresa em produzir lucro através de suas vendas. Se uma empresa não consegue gerar lucros – que é uma importante fonte de capital de giro para o negócio - ela não sobreviverá por muito tempo.

Confira a postagem Demonstrativo do Resultado do Exercício e veja na prática como fazer.

Importante: dentre outros índices de rentabilidade, esse, na minha concepção, é o que melhor representa a eficiência de uma empresa.

Outras formas de detectar sintomas de um problema financeiro:

a) Por meio do cálculo da necessidade de capital de giro – faltas constantes de recursos para honrar os compromissos com os credores é sinal que a saúde financeira da empresa vai mal.

Dica: calcule a sua necessidade de capital de giro (clique aqui e veja como fazer); depois encontre o valor atual do seu capital de giro – resultado da soma do disponível (caixa/bancos e aplicações financeiras), duplicatas a receber e valor de estoques; e por fim, compare os valores encontrados.

Exemplo: Necessidade de capital de giro (NCG) = $ 10.000,00
               Valor atual do Capital de giro = $ 8.500.00                      
                   
O giro existente é menor que a necessidade calculada, portanto, sinal de alerta. Isto pode revelar possíveis problemas nas finanças.

b) Por meio do Demonstrativo do Fluxo de Caixa (DFC) – esta é uma ferramenta que mostra todos os recebimentos e pagamentos de uma empresa em um determinado período. Por meio dele pode-se antever fluxos de caixas deficitários (no caso de demonstrações projetadas).

Se após o confronto dos recebimentos e pagamentos em datas futuras (fluxo de caixa projetado), deparar-se com faltas contínuas de caixa, uma possível conclusão é que a empresa não anda bem. Trataremos em postagens futuras como realizar um DFC Projetado.  

c) Por meio do Cálculo do Ponto de Equilíbrio (PE) – esta ferramenta também fornece dados capazes de sinalizar a presença de problemas financeiros.

Como já mencionei na postagem sobre Cálculo do Ponto de Equilíbrio, PE é o momento em que o valor das receitas igualam-se ao valor dos gastos totais - neste instante o resultado da empresa é igual a zero; nem lucro nem prejuízo.

Siga o meu raciocínio: se você sabe qual é o ponto de equilíbrio de sua empresa, e, de posse dos relatórios de vendas, descobre que a algum tempo não vem conseguindo atingir o valor de receitas necessário a cobrir seus gastos totais (abaixo do PE), certamente esta situação implica em prejuízos para o negócio e indica que  a saúde financeira da empresa está sendo abalada.

Confira a postagem Cálculo do Ponto de Equilíbrio e veja na prática como fazer.

Coloque isso em prática e descubra por meio dessas ferramentas se a sua empresa vem apresentando sintomas que caracterizam problemas financeiros.
Em outras oportunidades estaremos dando continuidade a esse tema, entretanto, mostrando dicas de como minimizar tais problemas.

(o que é acompanhar um blog?)

João N

Leia ainda...

Um crédito financeiro se mal utilizado, mais atrapalha que ajuda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também...